BuiltWithNOF
Segurança em EMG

 

Os estudos eletrofisiológicos são seguros desde que o neurofisiologista tome algumas medidas preventivas de segurança.

Abaixo relacionamos os principais cuidados que devem ser obedecidos em todos os laboratórios de EMG:

   - Nunca estimule um membro com uma corrente elétrica se o fio terra estiver fixado no membro contralateral, pois haverá fluxo de corrente passando pelo coração, aumentando o risco de arritmias cardíacas. Mantenha todos os eletrodos no mesmo lado do corpo.

   - Faça a manutenção de seu equipamento de EMG com um engenheiro biomédico qualificado para evitar escape de corrente e outros problemas que possam colocar seus pacientes em risco.

   - Certifique-se que o fio terra esteja ligado ao equipamento e que esteja funcionando adequadamente.

   - Nunca ligue ou desligue o equipamento de EMG com o paciente conectado a ele.

   - Quando realizar exames em UTI’s, certifique-se que apenas um fio terra esteja conectado ao paciente. Desconecte qualquer equipamento não essencial no momento do exame.

   - Nunca use gel de ultrassom para substituir gel de eletrodo na realização da condução nervosa, pois ele não contém eletrólitos e pode causar explosão ou fogo.

   - Mantenha líquidos longe do equipamento de EMG.

   - Pacientes com acessos venosos centrais através de catéter apresentam pequena resistência à passagem da corrente elétrica. Mesmo choques de baixa corrente administrados próximos a esses catéteres podem interferir com a condução cardíaca.

   - Evite realizar a condução nervosa no membro que houver catéter venoso central. Não estimule o ponto de Erb em pacientes com linha central. Faça somente os estudos essenciais para o diagnóstico do paciente.

   - Solicite avaliação cardíaca antes de fazer condução nervosa em pacientes com marcapassos cardíacos ou desfibriladores implantáveis.

   - Pacientes com distúrbios de coagulação ou tomando anticoagulantes orais eventualmente necessitam de estudos neurofisiológicos. As principais medidas a serem tomadas nesses pacientes são:

       * só realize o estudo se ele for essencial.

       * examine o mínimo número de músculos necessários.

       * comprima o local de introdução da agulha por 2 a e minutos.

       * evite estudar músculos profundos como os paraespinhais.

       * não examine pacientes com Rni > 3 ou com menos de 50.000 plaquetas.

   - Tendo em vista que a EMG é um procedimento invasivo, algumas medidas para evitar doenças transmissíveis por fluidos corporais são:

       * lave as mãos e use luvas de borracha descartáveis para cada paciente, principalmente durante a EMG de agulha.

       * mantenha o laboratório limpo.

       * limpe os eletrodos e fios entre cada paciente.

       * procure manipular a agulha com uma mão e o equipamento com a outra para evitar a passagem de fluidos para o equipamento.

       * tome a vacina contra a hepatite B e cheque os anticorpos.

       * tome muito cuidado ao colocar a tampa da agulha em seu lugar original. Evite essa atitude.

       * use sempre agulhas descartáveis para todos os pacientes.

[EMG LAB] [Corpo Clínico] [Serviços] [Convênios Atendidos] [Dúvidas Frequentes] [Nossos Preços] [EMG LAB News] [Dicas Neuromusculares] [Revisões] [Condução Nervosa] [EMG de Agulha] [Radiculopatias] [Neuropatias de Mediano] [Neuropatias de Radial] [Trauma de Nervos] [Biópsia de Nervos] [Segurança em EMG] [Paralisia Facial] [Dças do Neurônio Motor] [Miopatias Miotônicas] [Neuropatias de Ulnar] [Artigos] [Neurologia] [Links Interessantes] [Intranet] [Endereço] [Fale Conosco]